Seguidores

sábado, 14 de maio de 2016

Gif Santa Sara Kali Rogai Por Nós - Foz de Iguaçu




Salve
Santa Sara Kali
Caminhe junto comigo
No vendaval me mostre o abrigo
Na subida seja a luz lá no alto a me chamar
Se eu cair no erro seja o poder que vai me desviar
Se a doença me visitar seja a fé que vai curar a minha dor
Se eu me defrontar com o ódio me ensine a derrotá-lo com o amor
Se o meu céu estiver arruinado que a tua presença o preencha de cores
Se a minha primavera estiver tristonha quero que me oriente a plantar as flores
Se o pesar da morte ferir o meu coração que o teu abraço abrande as minhas dores
Se eu encontrar alguém que precise do meu apoio me ensine a dar a oferta certa
Se a minha paz for arruinada que eu seja persistente, e não, o ser que deserta!
Tu és a Santa que auxilia aquele que precisa achar o caminho; Tu és a saída!
Eu quero a Tua presença Santa Sara Kali; reveste de luz toda minha vida
Tu és a Santa do Povo Cigano, e também, de todo aquele que te seguir!
No meio de ambientes confusos determine à abertura e me deixe sair
Peregrinando contigo se acontecer um abalo o abrigo não irá ruir!
Jesus te acudiu no mar; A alvura da tua história eu hei de contar
Caminhou com a tristeza no peito; lutou contra o preconceito
Um amor infinito! Tu és a força de amar, Deus foi te salvar
A tua coragem é um ensinamento que eu quero louvar
Tu és a fé que faz com que eu enfrente a imensidão
Tu és o clarão que avança e dizima a escuridão!
Tu és um calor que aquece o meu coração
Aceite minha Santa esta singela oração
Caminhe sempre junto comigo
Oh, minha Santa Sara Kali!
Seja o meu abrigo!
Afaste o perigo!
Amém

Janete Sales Dany 
Poesia Registrada na Biblioteca Nacional 
Todos os direitos reservados 
T4977819




Dê um clique na imagem e
conheça o Blog SANTA SARA KALI
SANTA DO POVO CIGANO e de todos que tiverem fé
Dê um clique no Gif
Animação MÚSICA
PRECES - ORAÇÕES

Licença Creative Commons
O trabalho Salve Santa Sara Kali! Caminhe junto comigo! de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

DEIXE SUA LUZ BRILHAR - ACRÓSTICO


Destrua da sua mente o pensamento negativo
E se esforce para alcançar o seu objetivo
Irá encontrar pessoas malvadas na estrada
Xingar por esta razão é coisa errada!
Empenhe-se em não brigar por nada...
Seja você mesmo e siga em frente...
Uma atitude inteligente!
A Vida foi feita para brilhar
Luz só tem quem sabe amar
Use ao máximo toda sua calma
Zere o que faz mal para a alma

domingo, 8 de maio de 2016

Colo de Mãe



Mãe é aquela que carrega no colo
Lugar seguro, o mais firme solo!
Amor tem sempre para ofertar
A paz presente dentro do olhar

Ensina a viver a vida com o coração...
Aponta o caminho, a direção!
Adorável criatura, a melhor companhia...
Inspiração sublime para uma poesia


Fortaleza. Amor que nunca irá morrer!
Sempre oferece os braços para proteger
Ternura infinita que só quer agasalhar...
Um céu repleto de estrelas a brilhar!

Janete Sales Dany
Licença Creative Commons
O trabalho Colo de mãe de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Gif Colo de mãe
A animação foi feita com o programa PhotoScape.


Com este poema participei da Tertúlia dia das mães, 
na PEAPAZ, Poetas e escritores do amor e da paz

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Amor e Ódio

Nasceu no meio do céu um ser misterioso,
 tinha asas, mas não era pássaro!  
Cabelos longos, e  trazia nas mãos
um arco de flecha pronto para ser usado... 
As pessoas corriam. O que aquele ser queria?
Corpo exuberante e um olhar marcante. 
Procurava por algo, queria acertar o alvo!
Logo outro ser semelhante, chegou! 
Mas não havia concórdia entre eles, 
e uma batalha feroz se iniciou...
 Eram anjos guerreando, 
e o céu azul escureceu! 
Sentimentos diversos vibravam 
no íntimo de cada um
Amor e ódio! Um deles caiu no mar 
e as águas ficaram vermelhas! 
O que venceu ria alto, 
ficou incandescente de alegria! 
Olhava o outro se afogando e sorria. 
Um dos anjos morreu, mas antes de esvair 
desenhou com o sangue uma frase 
na superfície das águas: