Seguidores

sexta-feira, 27 de março de 2015

Bolinha de sabão que morre na minha mão...


Um arco-íris querendo vencer a imensidão
Transparência e cor que voa na ilusão...
O vento a leva para qualquer direção
Até que expira no ar ou morre no chão!

Tanto esplendor que causa inspiração
Como é bela a imagem da bolinha de sabão
Corro atrás e almejo sentir com a mão...
Então entendo que motivei uma explosão!


Ela se desmancha e dói meu coração...
O que eu fiz foi uma ingratidão!
Ela estava colorindo a minha solidão
Atino que não tem mais solução...

As cores morreram com a minha decisão
A transparência se repartiu na escuridão
Sou uma paixão que não tem mais salvação...
Destruo todas as minhas bolinhas de sabão!

 
Estou vendo outra no meu céu sem compaixão!
Assopro para bem longe para salvar minha ilusão...
Mas o vento é cruel, e a traz de volta...
Para morrer na minha mão!

Janete Sales Dany
Todos direitos reservados
Poema@ protegido por lei

Licença Creative Commons
O trabalho Bolinha de sabão que morre na minha mão... de Janete Sales Dany está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.




Nenhum comentário:

Postar um comentário